Cabral e seu candidato, Luiz Fernando Pezão, aceitaram a chapa montada por Picciani, mas disseram votar em Dilma Rousseff.

1votosergiocabral

 O ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) foi hostilizado por cabos eleitorais do PSOL na tarde deste domingo, quando saía da Escola Roma, em Copacabana, onde votou. Chamado de “assassino” e “ditador”, Cabral deixou o local acompanhado da mulher, Adriana Ancelmo, e de um segurança, num carro modelo Azera, da Hyundai.

— Onde está o Amarildo? Assassino! Ditador! — gritavam três homens, que empunhavam bandeiras do PSOL.

Cabral permaneceu cerca de 20 minutos na escola, e votou num clima tranquilo. Eleitores pediam para tirar selfies com ele. O ex-governador não adiantou sua posição no segundo turno. Seu partido está rachado no Rio. Enquanto o presidente regional do PMDB, Jorge Picciani, apoiou Aécio Neves (PSDB) no primeiro turno, o prefeito Eduardo Paes declarou voto em Dilma Rousseff (PT). Cabral e seu candidato, Luiz Fernando Pezão, aceitaram a chapa montada por Picciani, mas disseram votar em Dilma Rousseff.

— Tenho uma relação extraordinária com a presidenta Dilma, no que pese a postura do PT aqui no Rio. Sou amigo do Aécio há 31 anos. Amizade mesmo — afirmou Cabral.

Sobre a ínfima participação na campanha de Pezão — ele só apareceu no programa de de TV do aliado no primeiro dia do horário eleitoral —, Cabral negou que tenha sido escondido por seu ex-vice.

— Isso é uma injustiça. Se tem alguém que defendeu nosso governo, esse alguém foi Luiz Fernando Pezão. Essa coisa de político transferir voto não é certa. Em 2008, apareci muito pouco na campanha de Eduardo Paes — afirmou.

O ex-governador disse que só vai definir seu futuro político após as eleições.

Magé5-330x1224

Fonte: Extra

 

 

Autor já havia perdido dois filhos, Pedro, em 1988, e Manoel Jr, em 2012.

2_615x300

Pedro Almeida, filho caçula do autor Manoel Carlos, morreu aos 22 anos em Nova York. A causa da morte teria sido mal súbito. Ainda não há informações sobre quando ocorreu a morte, nem sobre velório ou enterro.

O autor já havia perdido dois filhos, Pedro, em 1988, em decorrência de complicações do vírus HIV, e Manoel Carlos Jr., em 2012, de ataque cardíaco.

Pedro é filho de sua terceira mulher, Beth, com quem é casado. Ele ainda é pai da atriz Julia Almeida e de Maria Carolina.

Magé5-330x1224

Fonte: G1

Eleições em clima de tranquilidade e comemorada em clima de festa democrática.

Eleições 1

A equipe do Web Jornal Magé Online.com, percorre as ruas da cidade e pode constatar o clima de tranquilidade que transcorre na cidade. 

Estivemos pela manhã deste domingo em vários distritos e a constatação e de festividade por conta da democracia e geral. Em fragoso-Piabetá, a grande concentração do maior colégio eleitoral da cidade, Colégio José Veríssimo, entrevistamos a maioria dos candidatos da cidade.

IMG_7481 IMG_7495

Rozan Gomes e Renato Cozzolino, ambos disputando uma cadeira na Alerj, falaram das eleições e do clima de amizade entre os adversários e elogiaram a atuação dos concorrentes diante do pleito. Leonardo da Vila, candidato a Deputado Federal, chegou a escola para votar em companhia de seu filho Heitor e de seu principal assessor, João Tomassi, agradeceu a população e espera representar a cidade em Brasília.

IMG_7510 IMG_7516

No centro do 6º Distrito, podemos acompanhar a candidata Soninha, cargo Deputada Estadual, acompanhada se assessores, votou na escola Visconde de Mauá, acompanhada pelo vereador Geraldo Gerpe, (Geraldão).

Até ao meio dia, nenhuma ocorrência grave foi registrada no município, que deverá bater novo record de presença de eleitores nas urnas. Magé, que mantém média de comparecimento nas urnas acima da média nacional, vota ordeiramente.

Magé5-330x1224

Antonio Alexandre de Souza, Magé Online.com

Além do Facebook, eleitores estão usando o Instagram e o Whatsapp para transmitir imagens de dentro da cabine.

567

Eleitores de várias partes do país estão tirando fotos e também fazendo selfies (fotos tiradas de si mesmos) dentro de cabines eleitorais. A prática, conforme já alertou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é crime e pode dar até dois anos de prisão. As fotos já se tornaram tão frequentes que até motivou a criação do Tumblr selfienaurna.tumblr.com.

4666

A infração se refere ao artigo 312 do do Código Eleitoral Brasileiro, que prevê como crime eleitoral “violar ou tentar violar o sigilo do voto”.

No Facebook, inclusive a produtora Paula Lavigne divulgou uma foto do seu voto para deputado estadual, mas a apagou logo em seguida, após ser alertada por fãs. Além do Facebook, eleitores estão usando o Instagram e o Whatsapp para transmitir imagens de dentro da cabine.

8900

— Votei e fotografei. Ninguém viu, Não tem controle nenhum isso. Ninguém olha para ver se estão usando celular — disse um eleitor de São Gonçalo.

Magé5-330x1224

Fonte: Extra

 

No último sábado (27), o Festival do Rio realizou uma sessão especial de “Vai trabalhar, vagabundo”, com cópia restaurada.

1.140001_1

O cineasta e ator Hugo Carvana morreu neste sábado (4) aos 77 anos no Rio. De acordo com o hospital em que Carvana estava internado desde o último domingo (28), em Botafogo, na Zona Sul, ele teve complicações causadas por um câncer no pulmão. Ainda não há informações sobre o velório e o enterro.

dsc_3433-

Ao longo da carreira, iniciada em 1955, Hugo Carvana ficou marcado por retratar o típico “malandro carioca” em suas comédias de costumes. Foi ator de mais de 50 filmes. Dentre as produções que dirigiu, estão “Vai trabalhar, vagabundo” (1973), “Se segura, malandro” (1977), “Bar Esperança, o último que fecha” (1982), “O homem nu” (1996), “Casa da mãe Joana” (2007) e “Não se preocupe, nada vai dar certo” (2009).

dsc_3496-othos-bastos-andrea-b

“Ele não era somente um ator extraordinário, mas diretor, um intelectual que pensava o Brasil. É uma coincidência triste: Carvana era como José Wilker, um autor, pensava as coisas do Brasil, do cinema, tinha interesse grande pelo estado do mundo”, disse o cineasta e grande amigo Cacá Diegues, lembrando a morte do também ator e diretor José Wilker, em 5 de abril passado (veja a repercussão da morte de Hugo Carvana).

.140001_1

Homenagem no Festival do Rio

No último sábado (27), o Festival do Rio realizou uma sessão especial de “Vai trabalhar, vagabundo”, com cópia restaurada. Os quatro filhos de Hugo Carvana estavam presentes: Júlio, Cacala, Rita e Pedro Carvana. Devido à saúde debilitada, o cineasta não pôde comparecer à sessão de gala.

Hugo-Carvana-e-Dennis-Carva

Na TV Globo, atuou também em novelas como “Corpo a corpo” (1984), “Roda de fogo” (1986), “O dono do mundo” (1991), “De corpo e alma” (1992), “Fera ferida” (1993), “Celebridade” (2003) e “Paraíso tropical” (2007). Um de seus papéis mais conhecidos foi o do repórter policial Valdomiro Pena, do seriado “Plantão de polícia” (1979-1981).

94228_gafoto15_nclhugoScreenShot00523ScreenShot002

nãosepreocupe1ScreenShot004ScreenShot003

Seu último trabalho como diretor foi “Casa da mãe Joana 2″ (2013). Como ator, fez parte do elenco de “Giovanni Improtta” (2013), de José Wilker.

Hugo Carvana nasceu no dia 4 de julho de 1937, filho da costureira Alice Carvana de Castro e do comandante da Marinha Clóvis Heloy de Hollanda. Era “um ilustre suburbano de Lins de Vasconcelos, que nunca renegou sua origem simples”, conforme destaca o perfil no site oficial. O texto reforça que o ator e diretor ficou marcado em sua trajetória por ter “um quê de malandragem”.

165440_1

Na juventude, para conseguir entrar no estádio e torcer pelo Fluminense, costumava se disfarçar de vendedor de balas e ambulante. “Figura obrigatória nas mesas dos bares da noite carioca, cultivou amizade com grandes nomes da boemia e das artes – Roniquito, Ary Barroso, Tom Jobim, Vinicius de Moraes, foram alguns”, diz o perfil.

“Através dessa vivência criou personagens que povoam o universo carioca, como o malandro Dino em ‘Vai trabalhar vagabundo’.” A primeira vez em que viveu esse tipo de personagem foi em “O capitão Bandeira contra o dr. Moura Brasil” (1970), de Antônio Calmon.

Gu Magé 330x1221

Fonte: G1

 Eleitores de todo o País deverão comparecer aos seus locais de votação, das 8h às 17h.

eleicoes

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informa que o eleitor deve levar, em média, um minuto e 14 segundos para votar na urna eletrônica. A estimativa leva em conta desde o momento em que o eleitor se apresenta ao mesário e vai à cabine de votação até o último voto na urna eletrônica. No domingo, serão eleitos deputados estaduais e federais, senadores, governadores e o presidente da República.

A estimativa do TSE foi baseada no tempo gasto pelo eleitor para votar nas eleições gerais de 2010. Para agilizar a votação, o Tribunal recomenda a utilização de um papel para anotar o número dos candidatos.

Neste 5 de outubro, eleitores de todo o País deverão comparecer aos seus locais de votação, das 8h às 17h. Usando o teclado da urna, é só digitar o número do candidato escolhido. Na tela, aparecerão a foto, o número, o nome e a sigla do partido do candidato. Se as informações estiverem corretas, basta apertar a tecla verde Confirma.

Para lembrar os números dos candidatos, o eleitor pode levar à cabine de votação uma “cola” eleitoral. Se não aparecerem na tela todas as informações sobre o candidato, aperte a tecla laranja – Corrige – e repita a operação. Para votar em branco, basta apertar as teclas Branco e Confirma. O voto será nulo se você digitar e confirmar um número de candidato ou de partido que não exista.

Ao fim da votação para todos os cargos, a urna emitirá um sinal sonoro mais forte e prolongado e aparecerá na tela a palavra Fim. Vale lembrar que uma das novidades das eleições deste ano é que municípios com mais de 200 mil eleitores poderão receber voto em trânsito de cidadãos que estarão fora de seus domicílios eleitorais no primeiro e segundo turnos das eleições e fazem questão de votar. Nesse caso, eles poderão votar apenas para o cargo de presidente da República. No primeiro turno, 84.418 eleitores pediram autorização para voto em trânsito, a maioria do estado de São Paulo.

Biometria – Nos municípios em que os eleitores serão identificados pelas impressões digitais, em caso de falha no sistema de biometria, será necessário um documento com foto para que o mesário faça a conferência na folha de votação. Nos processos internos de auditoria do cadastro, quando há dúvida sobre a digital entre dois indivíduos, é utilizada análise matemática das características da face por programa de computador.

Manifestação – De acordo com o TSE, só é permitida a manifestação individual e silenciosa do eleitor por meio de adesivos, bandeiras, broches e dísticos.

No dia da eleição, são proibidos a aglomeração de pessoas e veículos com material de propaganda, o uso de alto-falantes, a realização de comícios, carreatas, transporte de eleitores e boca de urna, e qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de candidatos em publicações, como panfletos e cartazes.

Necessidades especiais – O eleitor portador de necessidades especiais poderá ser auxiliado por pessoa de sua confiança para votar, ainda que não o tenha requerido antecipadamente ao juiz eleitoral.

O presidente da mesa, verificando ser imprescindível que o eleitor seja auxiliado por pessoa de confiança para votar, autorizará o ingresso dessa segunda pessoa, na cabina, podendo ela, inclusive, digitar os números na urna.

A pessoa que auxiliará o eleitor que tem necessidades especiais não poderá estar a serviço da Justiça Eleitoral, de partido político ou de coligação. A assistência de outra pessoa ao portador de necessidades especiais deverá ser registrada em ata.

Serão também assegurados ao portador de necessidade especial de caráter visual: a utilização do alfabeto comum ou do sistema braile para assinar o caderno de votação ou assinalar as cédulas, se for o caso; o uso de qualquer instrumento mecânico que portar ou lhe for fornecido pela mesa receptora de votos; uso do sistema de áudio, quando disponível na urna, sem prejuízo do sigilo do voto; uso da marca de identificação da tecla número 5 da urna.

Traje – Não há nenhuma previsão legal com relação a vestimenta. O TRE-RJ recomenda o bom senso e diz que traje de banho deve ser evitado.

Uso de celulares, smartphones e tablets está proibido no dia do pleito

Em tempos de selfie e redes sociais, o eleitor tem de ficar atento às regras da Justiça Eleitoral para o uso de celulares, smartphones e tablets no dia do pleito. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), enquanto estiver votando, o eleitor deve deixar o aparelho em um móvel, próximo aos colaboradores responsáveis pela seção eleitoral.

“Os mesários e o presidente de mesa estão orientados a determinar que o eleitor deixe os equipamentos eletrônicos que portar com o mesário”, informou o TSE.

A legislação eleitoral proíbe o eleitor de “portar aparelho de telefonia celular, máquinas fotográficas, filmadoras, equipamento de radiocomunicação, ou qualquer instrumento que possa comprometer o sigilo do voto”.

O sigilo do voto também abrange ambientes virtuais e redes sociais, ou seja, é proibido publicar imagens ou fotos do voto e quem fizer isso pode sofrer sanções. O TSE afirma que não haverá revista de eleitores, mas quem desrespeitar a Lei pode pegar até dois anos de detenção. Primeiro serão advertidos, mas a insistência pode levar o eleitor a receber voz de prisão por crime de desobediência, do artigo 347 do Código Eleitoral.

Para o pesquisador de ciência e tecnologia do departamento de sociologia da Universidade de Brasília (UnB) Marcello Barra, apesar do intenso ativismo de eleitores nas redes sociais, quem busca burlar a legislação presta um desserviço à nação.

“A conquista do voto secreto é uma garantia da democracia. Qualquer meio que burle esse direito é um atentado à democracia”, resumiu.

Segundo ele, o caráter sigiloso impede que as pessoas fiquem vulneráveis ao assédio para mudança de voto.

“A pessoa acha que está ajudando a militância, que está motivando outros a votar, mas, na verdade, ela está prejudicando o voto. O sigilo é uma garantia aos mais fracos”, completou.

Barra lembra que a popularização dos smartphones trouxe um incremento no número de pessoas que passaram a interagir na discussão política. Segundo o especialista, o uso da internet tem modificado a forma como as pessoas entendem e participam da vida política do país.

Segundo o TSE, se mesários flagrarem um eleitor fotografando o voto, o episódio será registrado em ata, identificando o eleitor. Caberá ao juiz eleitoral comunicar o fato ao Ministério Público Eleitoral para a instauração de inquérito.

A ordem de votação

- deputado estadual ou distrital (para votar em um candidato, é preciso teclar cinco dígitos na urna)

- deputado federal (devem ser digitados quatro dígitos)

- senador (três dígitos)

- governador (dois dígitos)

- presidente da República (dois dígitos)

Documentos

O eleitor deverá comparecer à seção portando documento oficial com foto, além do título de eleitor. O número de inscrição será digitado no microterminal da urna e o cidadão colocará o dedo no leitor ótico.

O programa fará a conferência da digital e, caso dê positivo, a urna será destravada para que ele vote.

 

Um homem que está internado em Dallas, no Texas, pode ter contaminado outras pessoas

Ebola

O governo americano diagnosticou seu primeiro caso de contaminação com o vírus ebola no país – o primeiro fora da África –, informou o Centro de Prevenção e Controle de Doenças nesta terça-feira (CDC, na sigla em inglês).

“Até onde sabemos, este é o primeiro paciente diagnosticado (com Ebola) fora da África”, declarou a jornalistas o diretor do CDC, Tom Frieden. “Não tenho dúvidas de que iremos controlar essa importação, ou esse caso de ebola, de forma que não se dissemine amplamente neste país”, acrescentou Frieden, que informou que o homem infectado se encontra criticamente doente.

Segundo a Casa Branca, o presidente americano, Barack Obama, foi informado pelo CDC sobre o caso. Frieden garantiu haver “risco zero” de que qualquer pessoa tenha sido infectada no voo que trouxe o homem para os Estados Unidos, porque ele não embarcou com os sintomas. Além disso, frisou, o país será capaz de controlar a doença.

“Ele teve a temperatura verificada antes de embarcar, e não há razão para pensarmos que alguém no voo em que ele estava correria riscos”, declarou. No entanto, o diretor do CDC reconheceu que um “punhado” de pessoas, sobretudo familiares, teve contato com o homem quando ele ficou doente, e que elas estão sendo monitoradas para o caso do surgimento de sintomas.

O homem, que não teve sua nacionalidade divulgada, começou a experimentar os sintomas em 24 de setembro e procurou um médico dois dias depois. Ele foi internado no dia 28 em Dallas, sob isolamento. A infecção com ebola foi confirmada por testes realizados por dois laboratórios.

“Ele se contaminou com a doença na Libéria”, disse o porta-voz, acrescentando que não se trata de um funcionário da área de Saúde. A informação foi confirmada pelo Hospital Presbiteriano de Dallas, que anunciou ter colocado uma pessoa em situação de total isolamento com base em “sintomas e em um histórico recente de viagens”.

Os Estados Unidos já trataram pacientes contaminados com ebola durante o surto atual no oeste da África, inclusive os médicos americanos Kent Brantly e Rick Sacra, infectados na África Ocidental e repatriados para tratamento em seu país. Os dois conseguiram se recuperar da doença. Outro paciente, com suspeita de exposição ao Ebola, foi hospitalizado nos arredores da capital americana no fim de semana, mas ainda não há confirmação de que tenha sido contaminado pelo vírus mortal.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a maior epidemia de ebola já registrada infectou, até agora, mais de 6.500 pessoas em cinco países do oeste africano e matou 3.091 desde o começo do ano. Não há vacina, ou medicação, para tratar o Ebola, que surgiu pela primeira vez na África em 1976.

A febre hemorrágica provoca um amplo espectro de sintomas, incluindo febre alta, vômito, diarreia e hemorragia. A primeira vítima identificada nessa nova epidemia de Ebola foi um menino de dois anos de idade, contaminado na Guiné em dezembro de 2013. Os especialistas ainda não conseguiram determinar como ele contraiu o vírus, mas o periódico New England Journal of Medicine relata que o menor pode ter tido contato com um morcego contaminado. Esse animal é um hospedeiro natural do vírus do Ebola.

Desde então, a epidemia se espalhou rapidamente, afetando Serra Leoa, Libéria e Guiné. O sistema de Saúde sesses países se encontra em colapso.

Há apenas uma semana, o CDC alertou que a epidemia pode alcançar 1,4 milhão de pessoas até janeiro de 2015, a menos que se aumente drasticamente o volume de recursos para seu controle.

Na terça-feira 30, o Pentágono anunciou o envio de cerca de 1.400 soldados à Libéria nas próximas semanas para combater a epidemia. Metade do efetivo pertence à 101ª Divisão Aerotransportada. Os outros 700 são engenheiros militares que serão estacionados em Monróvia, capital da Libéria, até o final de outubro – disse à imprensa um porta-voz do Departamento americano da Defesa, o contra-almirante John Kirby.

Os soldados vão se juntar aos 200 militares americanos já estacionados na Libéria e fazem parte dos três mil homens que Washington planeja enviar para esse país africano para ajudar a formar os trabalhadores do setor de Saúde e instalar hospitais e infraestruturas.

Gu Magé 330x1221

Fonte: Carta Capital

Comandante do Batalhão de Itaboraí, tenente coronel André Henrique, afirmou que deve ouvir o policial baleado.

ScreenShot016

Dois soldados da Polícia Militar foram atacados na madrugada desta sexta-feira por dez homens armados de fuzis e pistolas, quando seguiam de carro pela Rodovia 493 (Manilha-Magé). Um deles, lotado no 35º BPM (Itaboraí) foi atingido por quatro tiros e internado no Hospital Municipal Conde Modesto Leal, em Itaboraí, de onde foi transferido para o Pronto Socorro Geral de São Gonçalo (PSGS). O segundo militar, lotado no 34º BPM (Magé) foi medicado e liberado. Um civil que estava no veículo com eles nada sofreu.

O comandante do Batalhão de Itaboraí, Tenente Coronel André Henrique, afirmou que deve ouvir o policial baleado. Os dois militares, segundo ele, estavam de folga. Agentes do Serviço Reservado (P-2) estão investigando o caso.

ScreenShot015

Os militares feridos contaram aos policiais do 35º BPM e da 71ª DP (Itaboraí), onde o caso foi registrado como tentativa de roubo, que o Peugeot ocupado pelas vítimas foi atacado assim que o veículo alcançou o trevo da Manilha-Itaboraí, na pista sentido Magé.

Os criminosos fizeram diversos disparos contra o grupo. Houve reação dos militares, que conseguiram se esconder na mata fechada, mesmo assim o soldado Soares foi atingido por quatro tiros. O soldado Florêncio, do Batalhão de Magé, foi ferido sem gravidade. Os atiradores fugiram em seguida. As armas dos militares e o veículo não foram levados.

Gu Magé 330x1221

Fonte: O Fluminense

 

 

 

Cerca de 22,7 mil candidatos estão na disputa.

i320284

Próximos presidente do Brasil, governadores, senadores e deputados federais e estaduais serão escolhidos neste domingo, nas urnas. Cerca de 22,7 mil candidatos estão na disputa

Tudo pronto para a festa da democracia brasileira. Nas mãos de 142,8 milhões de eleitores está o convite para ir aos locais de votação e exercer o dever cívico e de cidadão. No cardápio, cerca de 22,7 mil candidatos distribuídos entre aproximadamente 530 mil sistemas de referência mundial: a urna eletrônica. E para que não haja ‘indigestão’ nos próximos quatro anos, mais do que ir às ruas, é preciso prudência, consciência, domínio das propostas e trajetória dos candidatos. O futuro estará nas mãos do eleitor neste domingo. O desafio é escolher os governantes que conduzirão o rumo do país e de 201 milhões de brasileiros.

No dia do pleito, os cargos serão apresentados para o eleitor na seguinte ordem na urna eletrônica: deputado estadual, deputado federal, senador, governador do Estado e presidente da República. De acordo com dados do TSE, este ano estão em disputa cerca de 22,7 mil candidatos alocados em 32 partidos em todo Brasil. Dentre os quais, 11 disputam a Presidência da República, 166 o governo dos Estados, 171 almejam o Senado, 6.142 a vaga de deputado federal e 14.773 deputados estaduais. Além disso, 976 disputam a vaga de deputados distritais.

A disputa para a Presidência da República nas eleições de 2014 tem 11 candidaturas. Entre os que disputaram as eleições em 2010 estão: a presidente Dilma Rousseff (PT), com o vice Michel Temer (PMDB), que tenta a reeleição; Marina Silva (PSB), com o vice Beto Albuquerque (PSB); Eymael (PSDC), com o vice Roberto Lopes que preside a sua legenda; Zé Maria (PSTU) com a vice Claudia Durans (PSTU); Rui Costa Pimenta (PCO) com Ricardo Machado (PCO) e Levy Fidélix (PRTB) com o vice do mesmo partido José Alves de Oliveira.

Já as novidades de 2014 na disputa presidencial trazem Aécio Neves (PSDB), com o vice Aloysio Nunes (PSDB), Pastor Everaldo (PSC) com o vice Leonardo Gadelha (PB), Luciana Genro (Psol) com Jorge Paz (Psol) como vice, Mauro Iasi (PCB) e Eduardo Jorge (PV) com Célia Sacramento de igual partido.

Governo do Rio - O Estado do Rio tem os seguintes candidatos ao Palácio Guanabara: o atual governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que tenta a reeleição, com o vice Francisco Dornelles (DEM); o deputado federal Anthony Garotinho (PR) com o bombeiro Márcio Garcia (PR); os senadores Marcelo Crivella (PRB) com o general José Alberto da Costa Abreu e Lindberg Farias (PT) com o vice Roberto Rocco (PV); Tarcísio Motta (Psol) com Renatão do Quilombo (Psol) para vice; Dayse Oliveira (PSTU), única mulher e negra que se candidatou ao Governo, que tem como vice Marília Macedo (PSTU) e Ney Nunes (PCB) com Heitor Cesar (PCB). À frente de 92 municípios e de mais de 15 milhões de habitantes, o próximo governador do Rio vai enfrentar desafios em áreas distintas como Educação, Saúde e Transporte.

Senado – São oito candidatos que disputam uma vaga ao Senado pelo estado do Rio de Janeiro: Carlos Lupi (PDT), Romário (PSB), Cesar Maia (DEM), Sebastião Neves (PRB), Heitor Fernandes (PSTU), Pedro Rosa (PSOL), Eduardo Serra (PCB) e Liliam Sá (PROS).

Deputados – A bancada federal do Rio tem 46 cadeiras disputadas por 948 candidatos do estado e a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) tem 70. Na briga por elas são 1.833 candidatos de todos os municípios do Rio. O Tribunal Regional Eleitoral não considera uma separação por cidade entre os que disputam as eleições gerais para deputado, e, portanto não informa quantidade total, nem quem são os concorrentes em cada município. Por isso, O FLUMINENSE levantou alguns dos destaques entre a totalidade.

Entre os nomes que vão tentar a preferência de quem é de Niterói e da Região Metropolitana na votação para deputado federal, estão: Sérgio Zveiter (PSD), Soraya Santos (PMDB), Heitor Durville Porto – “Vovô” (DEM), Chico D’Ângelo (PT) e Paulo Eduardo Gomes (PSOL). Já para deputado estadual temos além de Atratino, entre outros: Waldeck Carneiro (PT), Priscila Nocetti (PSD), Flávio Serafini (PSOL), Renatinho (PSOL), Tânia Rodrigues (PDT), Marcelo Freixo (PSOL), Professor Luciano (PSOL) e Comte Bittencourt (PPS).

Municípios – São Gonçalo é o segundo maior colégio eleitoral do estado, com mais de 678 mil eleitores. Além disso, três dos cinco maiores locais de votação do Rio estão na cidade. Este ano, Niterói apresentou uma redução de aproximadamente 30 mil eleitores em relação à última eleição, em 2012. A cidade tem mais de 352 mil eleitores dos quais 197 mil são mulheres. (EBC)

 Gu Magé 330x1221

 Fonte: O Fluminense

Pesquisar

Apenas correspondências exatas
">
">
">
">
Procurar nas mensagens
Procurar em páginas
Professional WordPress Plugins
EnglishFrenchGermanItalianNorwegianPersianPortugueseRomanianRussianSlovakSlovenianSpanishVietnameseYiddish


wp_flash_img_show will display here (config: Pub1)

Contato